Dos Santos é visto como coisa ruim & Haverá um pacto entre ele e o povo ?

Dos Santos é visto como coisa ruim & Haverá um pacto entre ele e o povo ?

O tamanho da ambicâo de Eduardo dos Santos nâo se limita a internidade no poder,assim como sua moral disforme ,nâo se encaixa nos valores morais éticos,de transparência e respeito por aquilo que é propriedade da nacâo.Somando uma coisa á outra, percebe-se que Dos Santos vem traçando seu roteiro para alcançar seu sonho de grandeza ,desde que se tornou num dos maiores ditadores do continente africano afrente de um regime fantoche.

- Criando gabinetes,comissões,cargos e outras porcarias para ajudar aqueles que garantem a sua permanência no poder ,ou fingem retardar o seu julgamento junto de instituicôes de justiça internacional, Dos Santos tem transformado muitos compatriotas sérios em criminosos. Nestes últimos tempos fortalecido pelos números das pesquisas,Dos Santos já ousou ir longe de mais,e fazendo tudo quanto quis. Andou mais depressa,falou o que bem quis,mentiu como quis,mandou montar todos os esquemas para desacreditar os partidos da oposicâo e centrou suas accôes,jurando dar o golpe final á UNITA e parece desafiar alguém a confrontá-lo.Chegou ao ponto de investir ,atribuindo quantias vultosas na compra de consciências,dos irmãos de Cabinda ,cada vez mais decididos na luta pela autonomia justa daquela região. Muitos perguntam o que será,quando dos Santos morrer ? Porque só a! morte o afastará do poder, no dizer de entendidos. Para reconstruir-se a feicâo moral do homem angolano,que vem sendo deformada há pelo menos quase 40 anos sob a doutrinacâo da militância criminosa.

Pois, muitos hoje colocados em lugares chave só o conseguiram depois de terem cumprido,ordens criminosas impondo um sofrimento físico e psicológico aos angolanos,nas mais variadas funcôes que exerceram.E quem tem boa memória ainda se recorda ,das tantas pessoas desaparecidas,envenenadas,presas,perseguidas,ameaçadas e mortas por desacordo e negarem a assinatura do pacto com o regime. Neste momento,vem-me em mente,os muitos compatriotas qualificados que nâo conseguem terem uma porta aberta para a promocâo,apenas porque sâo acusados de serem da UNITA,e tristemente muitos até apenas por terem um amigo ,parente ou conhecido da UNITA.Em tempos veio alguém publicamente dizer; \"( Em Angola é permitido tudo,menos ser da oposicâo e pior ainda da UNITA ).Onde está finalmente a seriedade deste governo ? Para quê serviram os tantos acordos hoje engavetados,quando a estratégia d! o golpe final,aos partidos da oposicâo já é um velho sonho ,quase transformado em realidade ?

Será que o presidente da republica se sente feliz,com os exemplos que tem dado a cada dia se tornando mais próximo da barbárie ? Para os que comungam com o Eduardismo,nossas reclamacôes nâo passam de baboseira.E é isso que exactamente ,nos diferencia e nos afasta dos amantes do Eduardismo.

A felicidade do imbecil se dá por ele estar entre os seus, os cleptocratas, corruptos, assassinos, sequestradores, pessoas para as quais os fins justificam os meios, portanto sem escrúpulos, aéticos, defensores da ideologia responsável por mais de milhões de mortes no nosso país desde que este MPLA ,optou por praticas de extermínio.

Diz-se que tudo e todos passam e é verdade. Então,vejam a Argentina dos peronistas Kirchner... Perón há muito tempo já passou para a história,mas deixou seguidores de seu populismo arcaico e deletério dando continuidade ao seu trabalho de transformar este país--antes uma promessa de pujança - em um exemplo do que podem causar sucessivas gestões corruptas ideologicamente equivocadas e retrogradas. O próprio Hilter morto há mais de 50 anos,consegue sobreviver ainda hoje, em neonazistas pulverizados em paíse,incluindo Angola onde as praticas de assassinatos fazem lembrar o nazismo,como também em governantes fanáticos como Ahmadinejad,que chega á loucura odiosa de negar o Holocausto sofrido pelo povo judeu nas mâos de Hitler.Dos Santos apesar da ganância pelo poder,o uso e abuso das nossas riquezas,também um dia desaparecerá.Mas nâo sem ! antes deixar,para as geracôes futuras,sua marca de realizacôes maléficas.E o eduardismo ,mescla de populismo que criou um mito \" folclórico e farsante \"do presidente de Angola; que implantou um regime onde todos roubam,também deixará os seus seguidores dos quais teremos que prestar maior atencâo.( Os traficantes benefiados pelo sistema Eduardista )

Tivesse Angola tido a felicidade de ter um presidente não tão corrupto, com certeza a democracia seria escrita com letras maiúsculas, pois para o honesto é fundamental a transparência, respeito à lei, não baseada no direito positivo, mas sim no direito natural.

Tivesse Angola tido a felicidade de ter um presidente ,preocupado com as dificuldades do seu povo, com certeza ,teríamos um melhor nível de vida , os direitos humanos seriam respeitados, e as forças de segurança estariam defendendo uma sociedade honesta e não estaria ao serviço de um presidente que nem por isso,tem sido o melhor exemplo para a nacâo.

Tivesse Angola tido a felicidade de ter um presidente democrata, com certeza a liberdade de imprensa seria uma realidade,pois para um verdadeiro democrata o direito à informação faz parte do exercício da cidadania

Irmãos posicionem-se, não basta teclar na net, temos que ganhar as ruas,mostrar o nosso descontentamento, só assim mudaremos este sofrido País.

Fernando Vumby

Aucune note. Soyez le premier à attribuer une note !

Commentaires (1)

1. Chikola BV. 30/08/2012

A Mentira Institucionalizada Na Política da Republica de Angola
Seguramente seria um ejercicio estéril realizar uma pesquiza entre os “cidadãos” angolanos para chegar a conclusão desejada, sobre a representatividade publica predominante que se tem sobre a politica se é negocio sujo, uma atividade desvergonhada, petulante muito caro para os cofres do estado.
Talvez um mal não de tudo necessario que padese-se, e que particípam no mesmo homens e mulheres sem escrúpulos, avidos de poder, com uma tendencia que beira o patológico psicologico a notoriedade.
Não há razão para estranhar, no tanto os politicos como os funcionarios publicos tenham na imaginação popular como: Traiçoeiros , corruptos, desonestos, trabalham especialmente para o ganho proprio à custa dos cidadãos a quem deviam servir.
Certamente, esta imagem da politica e seus atores não é muito animador, nem da lugar muito menos para abrigar qualquer esperança de que as coisas vão a melhorar no futuro proximo.
Então, quem realmente estar chocado ao, ver, ouvir ou ler informações nos meios de informação como a tv, rádio o a imprensa, nacional o internacionais.
Para evitar mal-entendidos, eu não estou dizendo que a corrupção ou a mentira entre políticos e os funcionários públicos são o oposto de um flagelo a nossa cominidad política. Nada está mais longe da realidade, no entanto, até o político corrupto e mentirosos deve proceder de uma maneira que faça o seu comportimento público compatível as leis e regulamentos e com os valores, as crenças expectativas e formas legítimas compreendendo a conduta que organiza e viabiliza a política, se não quer ser imediatamente detectado e punido politicamente e legalmente, mas se há permissividade nao, não são punidos, são separados de sua responsabilidade.
Esta tese não é o apelo para a reintrodução da moralidade na vida política.
A minha intenção não tem um parentesco com a mobilização do projeto neoconservador da política - coisa que acharia politicamente desastrosa, portanto, a mentira não deve ter a moral de carta da cidadania na politica.
Seja tudo uma prática ocasional ou consuetudinaria de una pessoa ou de um grupo de pessoas que exercem certa autoridade público, a mentira na política ameaça algumas condições e fundamentos da mesma política especificamente para, a liberdade, a igualdade, a pluralidade, a publicidade, a solidariedade e a democracia.
Devido a isso, a mentira na vida pública deve ser censurável e desacreditado, não a partir de uma posição moral, mas principalmente ou exclusivamente a partir de uma posição coerente com a política.
Para defender o argumento de que toda mentira, em maior ou menor grau, venha do cidadão, do político profissional, do funcionário público ou de outra forma, a mentira na política é a ação que tenta esconder informações, deformar ou destruído fatos; ou seja, o, que, precisamente conforma e proporciona estabilidade para a realidade, quem mente o faz com o ojetido de modificar a realidade, em certa medida, para obter ilegitimamente certa vantagem pessoal, ó para o grupo que pretende proteger. E se é grave mentir em questões relativas a todos os cidadãos, a atitude deliberada para mascarar a realidade, ou oferecer uma realidade ficcional como certa envolve necessariamente uma demolição da capacidade estabilizadora nerente para gerar um mundo comum significativo no qual podemos entender-nos em concerto.
A mentira é uma deformação intencional da realidade do solo firme dos fatos que literalmente contamos para movimentar-nos com segurança no mundo.
Ao distorcer a realidade com falsidades, os políticos atacam o senso comum- o sentido que nos guia mentalmente e praticamente numa realidade envolvente e significativa para todos - e dificultar os processos de comunicação de entendimento entre os cidadãos. Surge, portanto, com mentiras surgem discrepâncias entre fatos e discursos, entao atacar essa realidade é uma maneira de se deteriorar laços comunitários que nos une e que, em termos políticos servem como elementos integrandores que permite que a condição política dá solidariedade.
A mentira na politica desmonta outra das condições das possibilidades da vida política na democracia representativa moderna. Na democracia, qualquer ato ou reivindicação política o dircurso devem estar em harmonia com a publicidade, devem ser capazes de expressar-se abertamente para obter autorização, aprovação e apoio público para realizar o seu objetivo.
A mentira viola o exercício deste direito tanto os membros individuais ou de toda a comunidade política. o mentiroso político viola a representatividade e autorização de agir em nome dos cidadãos.
A mentira é o estabelecimento de uma política sinistra, à custa de uma política luminosa e democratica. Se é imposta a política de Escuridão como prática geral e pública - esta forma de Governo em que a participação política privilegiada é realizado em público sob o escrutínio de todos os que são afins, torna-se criptogovierno em uma simulação absoluto.

Para a sua propia saúde e funcionamento, os governantes da República de Angola se pretende ser autênticos e crediveis, deven expor a luz pública o que está escondido, sem a qual ninguém podia falar da legitimidade da representaçao e falar em mome do povo Angolano. Esta publicidade é tornar visível para todos a governança, o fazer-se visivél para todos que é a publicidade funcionaria como uma forma de controle do governado ao governante e também serve como uma forma de legitimação do uso do poder constituído exclusivamente para fins coletivos. Isso é a DEMOCRACIA.
Chikola B.Vasconcelos

Ajouter un commentaire

Créer un site gratuit avec e-monsite - Signaler un contenu illicite sur ce site

×