Toda maquina dos criminosos do MPLA sai a rua para se defenfer

Críticas de Bob Geldof são «exercício puramente gratuito»
As críticas formuladas terça-feira pelo músico e activista irlandês Bob Geldof aos governantes angolanos são "injustas", constituem um "exercício puramente gratuito" e são de se repudiar, considerou hoje em Luanda o ministro-adjunto do primeiro-ministro angolano, Aguinaldo Jaime.

"Penso que é um exercício puramente gratuito, que não tem em conta a realidade, não tem em conta os positivos avanços que se têm verificado e isso parece-nos perfeitamente injusto e é de se repudiar", afirmou o governante, que falava à emissora privada Luanda Antena Comercial.

Aguinaldo Jaime disse ainda que não se pode dizer que em Angola está tudo perfeito - "nem estamos a dizer que não há desafios ainda pela frente que temos que vencer", acrescentou.

O governante angolano entende que há resultados positivos já alcançados: "Deixam-nos a todos encorajados e deixam-nos fundamentalmente seguros de que estão construídas em Angola as bases para um futuro melhor", afirmou.

Aproveitando o manifesto desconhecimento do pormenor demonstrado por Geldof, Aguinaldo Jaime lembrou que, nas suas declarações, o cantor apontou "um exemplo concreto" na marginal de Luanda onde "estariam a ser construídas casas muito caras".

"Ele estaria certamente a referir-se ao projecto da baía de Luanda, que é um projecto de carácter privado, não é um projecto público, que está a ser desenvolvido por uma sociedade privada, cidadãos nacionais e estrangeiros, que entenderam aproveitar as oportunidades que a economia angolana lhes oferece", disse o ministro.

Aguinaldo Jaime destacou ainda a forma como o BES, cujo grupo tem avultados e dispersos interesses na economia angolana, se demarcou das declarações de Bob Geldof.

O ministro-adjunto do primeiro-ministro disse acreditar que aqueles investidores que estão em Angola não se deixarão intimidar pelas declarações de Geldof.

[Os investidores] que conhecem o mercado, conhecem os nossos desafios, não se deixarão intimidar, e muito menos iludir, por este tipo de críticas que não me parecem nada construtivas, antes me parecem um exercício sem fundamento e inteiramente gratuito".

«Bob Geldof desconhece realidade do país e insultou os angolanos»

O músico e activista irlandês Bob Geldof desconhece a realidade de Angola e insultou os angolanos, considerou hoje em Luanda o secretário para a Informação do MPLA, Norberto dos Santos "Kwata Kanaua".

Em declarações à Agência Lusa, aquele dirigente do partido no poder em Angola, procurou desvalorizar as declarações proferidas terça-feira em Lisboa por Bob Geldof, adiantando que o MPLA não pretende perder tempo com o artista.

"Não perdemos tempo com artistas deste nível", disse Norberto dos Santos "Kwata Kanaua", justificando a sua posição com o facto de Bob Geldof "desconhecer a realidade de Angola", quando afirma que na Baía de Luanda existem casas milionárias.

O secretário para a Informação do MPLA, apesar de desvalorizar as afirmações de Geldof, que disse na terça-feira em Lisboa que Angola "é gerida por criminosos", considerou as afirmações do músico irlandês "insultuosas".

"Consideramos um grande insulto para os angolanos", salientou Kwata Kanaua.

Por sua vez, o presidente da Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA), Ngola Cabango, convidou o músico a visitar o país para constatar "in loco" a realidade do país.

"Acho que foi muito forte a sua acusação", disse Ngola Cabango, que acredita que um convite das autoridades angolanas ao músico para visitar Angola é a melhor solução para Bob Geldof analisar o país, que "com as suas afirmações provou que não conhece Angola", adiantou Kabango à Lusa.

"É desnecessária a polémica que está a ser criada à volta disso, porque serve apenas para publicitar um músico", disse Ngola Cabango, referindo-se ao comunicado da Embaixada de Angola em Lisboa e a um artigo de opinião publicado hoje pelo diário estatal Jornal de Angola.

O presidente da Frente para a Democracia (FpD), Luís Nascimento, disse também à Lusa não concordar com "o tom como foi proferida a acusação", mas pactua com o sentido da afirmação do cantor quanto à política de desenvolvimento feita pelo Governo angolano.

"Há algum tempo que a FpD vem alertando para a grande situação de desigualdade que se vive em Angola. Por isso acreditamos que a política de desenvolvimento levada a cabo pelo Governo constitui um crime", disse Luís Nascimento.

Segundo Luís Nascimento, "é indiscutível" que Angola se encontra entre os países mais desiguais do mundo, onde uma minoria "vive em opulência" e a maioria em "extrema pobreza".

"Não há dúvidas que a política do Governo, pelos efeitos que acarreta, é criminosa", salientou.


Voltar

Aucune note. Soyez le premier à attribuer une note !

Commentaires (1)

1. Pankage 24/07/2012

O activista Bob Gelgof está cheio de razáo, toda maquina que dirigi angola é totalmente criminosa

Ajouter un commentaire

Vous utilisez un logiciel de type AdBlock, qui bloque le service de captchas publicitaires utilisé sur ce site. Pour pouvoir envoyer votre message, désactivez Adblock.

Créer un site gratuit avec e-monsite - Signaler un contenu illicite sur ce site