Eduardo dos Santos pediu a Cuba que envie militares para Angola

Eduardo dos Santos pediu a Cuba que envie militares para Angola 
 


Razão? Clima de insegurança que paira no país. Será Miala o “culpado”, tal como em Maio de 1977 “foi” Nito Alves?

O presidente angolano solicitou, na sua mais recente visita a Cuba, a ajuda das autoridades daquele país no sentido de enviarem tropas para Angola devido ao clima de insegurança que paira sobre o território nacional desde a altura da exoneração, e consequente detenção do antigo director dos Serviços de Inteligência Externa (SIE), Fernando Garcia Miala e seus adjuntos que há cerca de um mês se encontram a cumprir uma pena de quatro anos de prisão na Unidade Penitenciária de Viana (UPV) por terem cometido o crime de desobediência, segundo as autoridades.

O pedido de Eduardo dos Santos, segundo fonte do Notícias Lusófonas em Luanda, terá tido o assentimento das autoridades cubanas que, desta forma, poderão enviar, com a maior discrição possível, tropas cubanas para Angola nos próximos meses.

O envio de tropas de Fidel Castro para Angola poderá acontecer numa altura em que se estuda em Luanda a hipótese de extinguir o Serviço de Informações (Sinfo), um organismo em que, de acordo com a nossa fonte, o grau de descontentamento e de desconfiança elevou-se desde que, em Fevereiro de 2006, Fernando Garcia Miala e pares caíram em desgraça.

Recorde-se que o presidente angolano efectuou uma visita de três dias a Cuba durante os quais manteve encontros com o vice-presidente do Conselho de Estado e de Governo de Cuba, o general Raul Castro Ruz, bem como com o próprio Fidel Castro que se encontra a convalescer.

Durante a visita, delegações ministeriais e de peritos dos dois Estados trabalharam na preparação dos acordos e protocolos de entendimentos a serem rubricados. Integraram a comitiva presidencial, os ministros da Relações Exteriores, João Bernardo de Miranda, da Energia e Águas, Botelho de Vasconcelos, das Obras Públicas, Higino Carneiro, da Saúde, Rubem Sikato, da Educação, António Burity da Silva, e o embaixador de Angola em Cuba, José Condessa de Carvalho "Toka".

Fizeram igualmente parte da comitiva altos funcionários da Presidência da República, o secretário de Estado para o Ensino Superior, Adão Gaspar do Nascimento, os vice-ministros da Cultura, Virgílio Coelho, Hotelaria e Turismo, Paulino Baptista, da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, e especialistas das diversas instituições do Estado angolano.

Em declarações à imprensa, à sua chegada no Aeroporto Internacional "José Marti”, José Eduardo dos Santos, que se faz acompanhar da primeira dama, Ana Paula dos Santos, defendeu a revisão dos moldes de cooperação com Cuba para o bem dos dois povos, adequando-as às mudanças havidas nos últimos 20 anos.

Voltar

Aucune note. Soyez le premier à attribuer une note !

Ajouter un commentaire

Vous utilisez un logiciel de type AdBlock, qui bloque le service de captchas publicitaires utilisé sur ce site. Pour pouvoir envoyer votre message, désactivez Adblock.

Créer un site gratuit avec e-monsite - Signaler un contenu illicite sur ce site