A UNITA não quer «passeatas» das urnas especiais nestas Eleições em Angola

A UNITA não quer «passeatas» das urnas especiais nestas Eleições em Angola

Os partidos concorrentes, UNITA, FpD, PDP-ANA e FNLA, são contra a deslocação das urnas especiais para posterior contagem pela Comissão Provincial Eleitoral.
Num Comunicado, a UNITA através do SG Numa, afirma que a deslocação das urnas, sem prévio apuramento no local de votação, não garante transparência. Os citados partidos exigem que o apuramento seja feito no local da votação, devendo as Comissões locais de Eleições delegar as devidas competências às mesas de voto e utilizando o sistema PDF.
Os referidos partidos solicitam ao CNE um instrutivo para os membros das mesas de voto « que impeçam todo o tipo de votação ilícita, definindo os limites da situação em causa».
Os partidos signatários, aproveitam para alertar o CNE, que os cartazes da educação cívica utilizam figuras destacadas e afectas ao partido no poder, exigem a auditoria prévia do Centro de Escrutínio de Talatona em Luanda e denunciam a parcialidade dos órgãos de Comunicação Social afectos ao Estado, por alegada colagem ao partido no poder.

O CNE clarificou hoje em Luanda, que os delegados de lista das assembleias de voto devem evitar a interferência no processo de votação. A sua missão é constatar o andamento do processo de votação e informar as reclamações fora da Lei Eleitoral.
Os Delegados enquanto representantes dos partidos e coligações, devem assistir a contagem dos votos nas respectivas Assembleias e a elaboração das actas.

Como não podia deixar de ser, terei que fazer um breve comentário aquilo que foi escrito no oficioso Jornal de Angola contra a UNITA. É bandeira de honra da UNITA, a luta contra a corrupção endémica em Angola e recuperar os projectos apresentados na Assembleia Nacional e que foram para a gaveta. Aquilo que recebeu do Orçamento Geral do Estado, a título de subvenção pelo número de Deputados que tinha, é um valor transparente.
O que os Angolanos não sabem, são outros valores, como os bónus do petróleo, o diferencial entre o valor fixado em termos orçamentais e o valor real do barril de petróleo no mercado internacional e o seu destino.
Em matéria de transparência, o partido da situação na Assembleia nacional, fechou os olhos, tapou os ouvidos e calou-se, em relação aos «projectos quentes» dos partidos da oposição e como tinha a maioria absoluta (algo que os eleitores não lhes vão dar no dia 5 de Setembro), vetava os ditos projectos e «chutava para canto», algo que o Governo agradecia.
O oficioso devia ter vergonha em escrever sobre KAPANDA, o maior « elefante branco» de Angola, um «saco roto» de biliões de USD, que a seis anos para cá, o governo garante aos angolanos que « a potência eléctrica » está a chegar a Luanda e é o que se vê,… os seja, a escuridão subsiste.
A justificação da guerra, para «driblar» o povo, das suas incompetências e a falta de vontade de resolver os problemas básicos das populações, como o saneamento, acesso a água potável e luz, o lixo por todo o lado, o trânsito caótico, as milhares de crianças que ficam fora do sistema escolar, ano após ano,… já foi « chão que deu uvas e que agora secou».
É por isso, que o oficioso tem sido a maior ajuda de campanha para a MUDANÇA, porque escreve para o seu « umbigo » e aviva a memória dos eleitores para as desgraças que têm vivido e que os leva a votarem no 11 – UNITA!!!

Na senda da vitória continua o Dr. Samakuva, que hoje está na Província da Huíla, Município do Kuvango, apresentando o programa do governação e o manifesto eleitoral da Mudança, que é aquilo que o eleitor mais quer ouvir. O Presidente da UNITA irá visitar os Municípios da Jamba, matala, Quipungo, Chicomba, Caconda, Caluquembe e Lubango.

O Presidente da República foi hoje para Huambo, mas as 17h, já estava em Luanda, porque não prescinde das mordomias do seu palácio, nem que seja por uma noite. Nesta passagem relâmpago, ofereceu tractores com alfaias agrícolas, motorizadas, bicicletas e electrodomésticos às autoridades tradicionais dos 11 Municípios da Província, tendo entregue pessoalmente as chaves dos tractores aos onze sobas de cada Município.
Por certo, os Sobas agradeceram e ficaram a pensar, como é que foram tratados a uns anos atrás, no quadro do MPLA marxista, que não reconhecia a autoridade tradicional, os seus costumes, usos e direito consuetudinário. Mas no dia 5 de Setembro, estes mais velhos de « boa memória », saberão votar na MUDANÇA.
Sua Excelência o Sr. Presidente da República também inaugurou a EN-120 Huambo, Luanda que passa pelo Alto Hama/Wakukungo, numa extensão de 600Km; a estrada Sawilala/Bailundo com 38 Km, onde o Governo gastou mais de 25 Milhões e 630 Mil USD (… vejam bem, a quanto saiu o Km…). A rede de estradas do Huambo é constituída por 1 Milhão e 96 Mil Km ( ainda está muito por fazer ).
Em menos de 15 dias também visitou as Províncias de Lunda Sul e Benguela ( só faltam 15 Províncias para visitar, mas como o processo eleitoral está no fim, vai ter que seleccionar muito bem as próximas visitas, onde o MPLA está com mais dificuldades de implantação eleitoral).

A organização cívica não governamental, PNASCAE, recrutou 2.500 observadores para fiscalizar o pleito de 5 de Setembro, que serão distribuídos pelas 18 Províncias de Angola.

Neste vigésimo segundo dia de campanha eleitoral, o Líder da UNITA destaca-se ao conseguir passar a mensagem da MUDANÇA ao Eleitorado, privilegiando a Angola profunda, sem recurso a ofertas materiais, ao contrário do Presidente do MPLA, que chega, oferece, discursa e parte para Luanda, numa política da continuação, que o povo Angolano já conhece e quer mudar.

Aucune note. Soyez le premier à attribuer une note !

Ajouter un commentaire

Vous utilisez un logiciel de type AdBlock, qui bloque le service de captchas publicitaires utilisé sur ce site. Pour pouvoir envoyer votre message, désactivez Adblock.

Créer un site gratuit avec e-monsite - Signaler un contenu illicite sur ce site

×