A UNITA pratica a Democracia e aposta com os Angolanos na MUDANÇA

A UNITA pratica a Democracia e aposta com os Angolanos na MUDANÇA

A UNITA foi o primeiro partido em Angola a fazer eleições em Congresso para a eleger o seu Presidente, com três candidatos e repetiu a proeza em 2007 de acordo com os seus estatutos. Ao MPLA, a UNITA dá « lições » de democracia interna e é um dos poucos partidos habilitado a garantir aos Angolanos, um regime Democrático num Estado de Direito. O « resto » é “ conversa fiada “ do oficioso do partido da situação!

O acordo de PAZ de Luena, rubricado em Luanda a 4 de Abril de 2002, na sequência do Protocolo de Lusaka, salvaguardou os direitos legítimos da UNITA, enquanto maior partido da oposição e que está a cumprir, fazendo parte do GURN. Quem está em falta é o MPLA, que até a data não deu seguimento a muitos dos compromissos acordados no acordo de PAZ, como é do conhecimento geral.

O Programa eleitoral da UNITA já é conhecido por uma grande parte dos eleitores e dos jornalistas nacionais e estrangeiros, pelo que, não é o oficioso Jornal de Angola, que conseguirá « lançar poeira e confusão » nos eleitores, porque estes sabem, qual é a linha de orientação que o dito jornal segue desde sempre.

Um dos fracassos mais retumbantes do MPLA foi a sua Agenda de Consenso, que ficou com quem a fez, não tendo eco no país e que o eleitor não faz a mínima ideia do que se trata. É uma cartilha futurista sem futuro nenhum!

A História de Angola que vai ser reconstruída e o Sistema Democrático que vai ser implantado no país, porque aquilo que hoje temos é uma «democracia musculada» do partido da situação, devem muito a luta heróica de um Homem, que morreu em combate junto aos seus Homens, recusando a vida fácil e preferindo auscultar as necessidades básicas do povo que vive na Angola profunda, e ainda é lembrado por isso, dentro e fora do partido, como o líder carismático e fundador da UNITA, que contribuiu para a queda do partido único, vergando-o ao multipartidarismo e a lei Fundamental ( que a UNITA irá alterar para melhorar o nosso regime político ) que vigora no país.

Nestas eleições, os eleitores só têm um projecto que lhes garanta no futuro uma vida digna, é o Programa da Mudança! Esta mensagem chave, bate as obras de fachada, as inaugurações de última hora, de um MPLA absolutamente desesperado, a lutar contra o tempo e não conseguindo junto ao eleitorado, convencê-lo que foi e é capaz, de fazer mais e melhor. A ideia de « mudar para melhor » é mais fácil de passar, do que aquela que o partido da situação quer impor aos angolanos, porque é poder, porque tem os meios materiais e financeiros, mas que agora está « gasto e cansado » e só lhe resta arrumar as «chuteiras» e deixar o jogo para aqueles que o querem jogar com transparência, seriedade e em prol do Povo Angolano.

Os setentas jornalistas estrangeiros que pediram o credenciamento junto ao CNE, vão constatar a vontade de mudança que os eleitores vão demonstrar no dia 5 de Setembro, ao votar no 11 – UNITA! Espera-se, que tenham as mesmas condições de trabalho que os jornalistas Nacionais e liberdade de circulação, sem qualquer tipo de pressão ou descriminação.

No vigésimo primeiro dia das eleições em Angola, o eleitorado procura mais informação, sendo mais receptivo, já não tem tanto receio em manifestar-se a favor da mudança, o que está a deixar o partido da situação, «a beira de um ataque de nervos» e frustrado porque não consegue travar o ânimo dos adeptos da Mudança.

Aucune note. Soyez le premier à attribuer une note !

Ajouter un commentaire

Vous utilisez un logiciel de type AdBlock, qui bloque le service de captchas publicitaires utilisé sur ce site. Pour pouvoir envoyer votre message, désactivez Adblock.

Créer un site gratuit avec e-monsite - Signaler un contenu illicite sur ce site

×