MPLA distribui dinheiro, cerveja e uisque

MPLA distribui dinheiro, cerveja e uisque

O MPLA está a mostrar como é fácil gastar o que é dos outros, no caso o que é dos angolanos. Dinheiro não é problema. Por isso pagam para que os angolanos andem com as suas camisolas, distribuem cerveja e uisque e dão dinheiro como quem dá uma palavra. Os observadores eleitorais propriamente ditos dizem que nunca viram tal coisa. Dizem. Mas nada fazem.

É o MPLA real. O resto pouco interessa. Alguém está interessado em que mais de 68% da população angolana viva em pobreza extrema, em que a taxa estimada de analfabetismo seje de 58%?

Entre 1997 a 2001, Angola consagrou à educação uma média de 4,7% do seu orçamento, enquanto a média consagrada pela SADC foi de 16,7%. Mas será que a barriga vazia ajuda a pensar nestas verdades?

É verdade que a economia está a crescer, mas está a crescer mal, quer na estrutura da produção interna, quer na distribuição da riqueza nacional: 76% da população vive em 27% do território. Mas será que a barriga vazia ajuda a pensar nestas verdades?

Mais de 80% do Produto Interno Bruto é produzido por estrangeiros. Mais de 90% da riqueza nacional privada foi subtraída do erário público e está concentrada em menos de 0,5% de uma população de cerca de 18 milhões de angolanos. Mas será que a barriga vazia ajuda a pensar nestas verdades?

A injustiça social e a exclusão afectam quase todos os angolanos. O MPLA fundamenta a sua estratégia para enclausurar a liberdade de escolha dos angolanos em cinco pontos:

- Dependência sócio-económica a favores, privilégios e bens, ou seja, o ‘cabritismo,” – este método é utilizado para amordaçar os dirigentes, quadros, deputados, governantes e militantes do Partido da situação e não só.

- A coação e ameaças são utilizadas para silenciar os jornalistas, sobretudo em Angola mas também noutros países. Os angolanos querem e merecem a mudança.

- A violência física e a intolerância política são as formas preferidas para intimidar os militantes e simpatizantes da UNITA e não só. Os angolanos querem e merecem a mudança.

- A coação e a instrumentalização são utilizadas contra as autoridades tradicionais e algumas entidades religiosas. Os angolanos querem e merecem a mudança.

- A corrupção política e económica é, hoje como ontem, utilizada contra todos.

Mas será que a barriga vazia ajuda a pensar nestas verdades?

Aucune note. Soyez le premier à attribuer une note !

Ajouter un commentaire

Vous utilisez un logiciel de type AdBlock, qui bloque le service de captchas publicitaires utilisé sur ce site. Pour pouvoir envoyer votre message, désactivez Adblock.

Créer un site gratuit avec e-monsite - Signaler un contenu illicite sur ce site