Ulrich diz que não há corrupçã

Ulrich diz que não há corrupção em Angola
Image O presidente do BPI, banco presente em Angola desde 1996, diz que não há corrupção no país. Em entrevista ao Diário Económico, Fernando Ulrich considera que as declarações polémicas de Bob Geldof "não têm sentido nenhum".

O presidente do BPI, banco presente em Angola desde 1996, diz que não há corrupção no país. Em entrevista ao "Diário Económico", Fernando Ulrich considera que as declarações polémicas de Bob Geldof "não têm sentido nenhum".


Questionado sobre a polémica recente à volta das declarações de Bob Geldof, que num envento promovido pelo BES em Lisboa disse que "Angola é um país gerido por criminosos", Ulrich diz que as declarações "não têm sentido nenhum".


O BPI tem em Angola o Banco Fomento e Angola, sendo este o seu principal activo internacional. Actualmente, o banco está em negociações com a empresa estatal angolana Sonangol para a venda de uma posição de 49% no BFA.
Fernando Ulrich diz que a experiência do BPI em Angola não mostra um país corrupto.


"O BPI nunca pagou nada a ninguém para obter nada em troca como nem nunca ninguém nos pediu nada para fazer o que quer que fosse em troca", disse ao "Diário Económico".


Ulrich desvaloriza também o facto da petrolífera estatal Sonangol ter tirado as contas do BFA por este não ter suportado as condições de uma operação de financiamento para o Estado angolano.
"Isso também já me aconteceu em Portugal com entidades públicas e privadas que não gostaram de alguma coisa que eu fiz ou que não fiz", conta o responsável

1 vote. Moyenne 1.00 sur 5.

Ajouter un commentaire

Vous utilisez un logiciel de type AdBlock, qui bloque le service de captchas publicitaires utilisé sur ce site. Pour pouvoir envoyer votre message, désactivez Adblock.

Créer un site gratuit avec e-monsite - Signaler un contenu illicite sur ce site