UNITA lança novas estruturas para conquistar o voto em Luanda

UNITA lança novas estruturas para conquistar o voto em Luanda

A UNITA lançou no Sábado passado a sua nova estrutura partidária em Luanda, virada essencialmente para a conquista do eleitorado, na perspectiva da realização das próximas eleições, provavelmente em 2008.



 Para o presidente do partido, Isaías Samakuva que presidiu o acto, Luanda não é uma província qualquer, ela merece atenção especial, tendo em conta o universo dos habitantes que ela comporta. Para corresponder a essa dimensão estratégica de Luanda e a necessidade de mobilização do voto, a UNITA dividiu a capital em quatro zonas, sendo a primeira aquela que compreende os municipios de Cacuaco e Viana, a segunda a que integra os municipios de Cazenga e Sambizanga, a terceira que corresponde aos municipios das Ingombota, Samba e Maianga e por último a zona 4 para os municipios do Rangel e Kilamba Kiaxi.  Os titulares que vão dirigir os destinos do partido nestas zonas já foram indicado, exceptuando a zona 4. Lucas Kaimi, Joaquim Assiz, Diamantino Mussokola foram designados para dirigir as zonas 1, 2 e 3 respectivamente.  para a zona estar a testa dessas zonas a

Para coordenar essa estrutura as quatro zonas, Isaías Samkuva nomeiou Francisco Fernandes Falua, natural de Luanda e militante do partido desde a década de oitenta e que exerceu diversas funções em diferentes órgãos do partido. Estão previstas algumas alterações ao nível dos municípios que integram as zonas onde serão efectuadas algumas mexidas. Neste sentido, Juliano Chaly passa a ser o novo secretário municipal de Viana.

Falando ao presentes, o líder a UNITA explicou o que está na base dessa estruturação dos órgãos dirigentes do partido em Luanda, tendo sublinhando tudo estar enquadrado na perspectiva das eleições prevista para 2008. “Temos de preparar o partido para este desafio que é muito importante para a vida do partido e das populações angolanas”, explicou o líder da UNITA para quem os angolanos de uma maneira geral e os militantes da UNITA em particular têm 10 a 11 meses para mudar o rumo do país.



“As coisas não mudar por si sós, mas é dependendo do investimento que fizermos”, disse, esclarecendo que “ os responsáveis apresentados hoje  serão os “ capitães das equipas”, mas que porecisarão do concurso de todos os componentes”. O mais alto mandatário chamou a atenção dos responsáveis ora empossados para a necessidade da conquista do voto do eleitorado que passa pela transmissão da mensagem clara sobre o projecto político da UNITA que visa melhorar a condição de vida dos angolanos.



“Vamos à procura do voto passando uma mensagem que explique claramente qual é o nosso projecto de sociedade, o que nós queremos fazer deste país e com os seus cidadãos, nós não queremos continuar a ver os cidadãos a passar mal, sem casas para habitar, sem dinheiro para custear os estudos das suas crianças, sem hospitais para curar efermidades, sem condições de transporte”, sublinhou Isaías Samakuva, reiterando a determinação do seu partido em mudar esse estado de coisas.



O presidente da UNITA disse que com a reestruturação da máquina partidária o “Galo Negro” estará em condições de convencer os cidadãos para a necessidade de mudar o actual estado de coisas.

Num outro desenvovlimento, o líder da UNITA manifestou a sua inquietação face a um comportamento que se vem generalizando no país, a que chamou de “cabritismo” e que consiste na atitude dos titulares dos cargos públicos que desviam para seu benefício próprio os bens colocados à sua disposição para o bom desempenho das suas funções.

Fonte:Kwacha




Voltar

Aucune note. Soyez le premier à attribuer une note !

Ajouter un commentaire

Vous utilisez un logiciel de type AdBlock, qui bloque le service de captchas publicitaires utilisé sur ce site. Pour pouvoir envoyer votre message, désactivez Adblock.

Créer un site gratuit avec e-monsite - Signaler un contenu illicite sur ce site

×