AGOSTINHO NETO AO POVO ANGOLANO

 AGOSTINHO NETO AO POVO ANGOLANO

 

(Acordo de Alvor, 1975)

 

PORTIMÃO, 15 — Agostinho Neto, presidente do Movimento Popular de Libertação de Angola, dirigiu a seguinte mensagem ao povo angolano:

"Povo angolano, companheiros de luta, camaradas militantes e simpatizantes do MPLA. Angolanos:

Falo-vos no momento de particular transcendência do processo já longo da luta de libertação do nosso povo e do nosso pais. Não interessa relembrar agora os inúmeros sacrifícios, os incalculáveis sofrimentos por que passou o nosso povo, pois o sangue derramado pelos nossos heróis, os suplícios consentidos pelos nossos mártires, as humilhações dos vivos e dos mortos, constituem já, historicamente, a argamassa indestrutível que construiu os alicerces da nossa libertação. O que importa neste momento é que a grande e portentosa nação que já se vai erguer, sobre as bases conquistadas, saiba trilhar o mesmo caminho de dignidade, de justiça e de humanidade que sempre caracterizaram a acção do Movimento Popular de Libertação de Angola.

O acordo que acabamos de firmar com o Governo Português e que não é afinal mais do que uma reafirmação do nosso desejo de franca, leal e aberta colaboração, que não é afinal mais do que uma confirmação do protocolo de Mombaça, esse acordo que aqui foi obtido dentro do mais perfeito espírito de cooperação, representa as linhas teóricas que deverão orientar os primeiros passos de uma Angola saída da negra opressão e repressão do fascismo, mas ainda a caminho da independência total e completa. A todos nós, militantes e simpatizantes do MPLA, mas muito especial ao povo angolano, caberá, agora, a dura, a dura mas a gloriosa tarefa, a difícil mas aliciante missão de assumir na prática as palavras de ordem e as directrizes encontradas na cimeira da Penina.

Qual é afinal o nosso caminho? A que reconduz à correcta e legitima forma de reconstruir o nosso país, só por ser uma, a reluminosa igualdade, da justiça e da compreensão. A da Unidade. Queremos fazer um país onde não haja lugar a qualquer espécie discriminação, queremos construir uma sociedade em que sejam abolidos todos os vestígios de racismo e de tríbalismo, em que seja destruído o único sinal do colonialismo em que estabeleçam as condições necessárias para criar uma harmonia entre todos os componentes da nação angolana e a garantia plena do livre exercício por parte de cada um, dos direitos inalienáveis e das liberdades sagradas dos cidadãos livres de um país livre. Foram estas as posições que o MPLA defendeu"na cimeira da Penina. São estas posições que o povo angolano deverá defender em todo o território nacional, em todos os momentos. É este o nosso caminho. Absorver o espírito e cumprir a letra do acordo da Penina. Reconstruir a nação na dignidade e na justiça, única forma de garantir a paz, a. prosperidade, e a felicidade que são, afinal, os objectivos últimos da revolução angolana.

Compatriotas camaradas: agora que os trabalhos da cimeira estão concluídos, agora que o Mundo inteiro nos olha com a consideração e o respeito que a nossa luta de libertação construíram, saibamos reforçar e consolidar as conquistas obtidas. Um só povo, uma só nação, defendendo intransigentemente, sem subterfúgios ou ambiguidades a democracia e o direito sagrado de podermos entrar no seio da comunidade mundial com as credenciais conseguidas ao longo de 18 anos de luta.

FNLA, UNITA e MPLA unidos, pretos, mestiços e brancos unidos são a garantia para construirmos uma pátria independente para o povo angolano. A vitória é certa".


Voltar

6 votes. Moyenne 1.83 sur 5.

Commentaires (13)

1. Ayres Guerra Azancot De Menezes (site web) 02/09/2011

América tem o desejo de destruir a longo prazo todos os países que conseguiram ter uma identidade própria ,que se afirmaram a senda mundial.

Todos aqueles que contrapuseram a partir de movimentos políticos e que se transformaram em nação e ainda por cima ricas e que possam condicionar o preço das riquezas que eles cobiçam.
Teremos que por as nossas inteligências para equacionar estratégias para não sermos deglutinados a longo prazo.
A tendência a longo prazo sera de destruir todos países que assumiram uma posição libertadora e continuam a ser exemplos para outras nações.
AMÉRICA NUNCA HA DE ACEITAR PACIFICAMENTE NAÇÕES ORIUNDOS DE VISÕES E DOUTRINAS POLÍTICAS ANTERIORES MESMO ADATADAS AO NOVO CONTEXTO MUNDIAL.
O outro alvo a abater pelos Americanos sera Angola

2. Ayres Guerra Azancot De Menezes (site web) 02/09/2011

América tem o desejo de destruir a longo prazo todos os países que conseguiram ter uma identidade própria ,que se afirmaram a senda mundial.

Todos aqueles que contrapuseram a partir de movimentos políticos e que se transformaram em nação e ainda por cima ricas e que possam condicionar o preço das riquezas que eles cobiçam.
Teremos que por as nossas inteligências para equacionar estratégias para não sermos deglutinados a longo prazo.
A tendência a longo prazo sera de destruir todos países que assumiram uma posição libertadora e continuam a ser exemplos para outras nações.
AMÉRICA NUNCA HA DE ACEITAR PACIFICAMENTE NAÇÕES ORIUNDOS DE VISÕES E DOUTRINAS POLÍTICAS ANTERIORES MESMO ADATADAS AO NOVO CONTEXTO MUNDIAL.
O outro alvo a abater pelos Americanos sera Angola

3. Ayres Guerra Azancot De Menezes (site web) 02/09/2011

América tem o desejo de destruir a longo prazo todos os países que conseguiram ter uma identidade própria ,que se afirmaram a senda mundial.

Todos aqueles que contrapuseram a partir de movimentos políticos e que se transformaram em nação e ainda por cima ricas e que possam condicionar o preço das riquezas que eles cobiçam.
Teremos que por as nossas inteligências para equacionar estratégias para não sermos deglutinados a longo prazo.
A tendência a longo prazo sera de destruir todos países que assumiram uma posição libertadora e continuam a ser exemplos para outras nações.
AMÉRICA NUNCA HA DE ACEITAR PACIFICAMENTE NAÇÕES ORIUNDOS DE VISÕES E DOUTRINAS POLÍTICAS ANTERIORES MESMO ADATADAS AO NOVO CONTEXTO MUNDIAL.
O outro alvo a abater pelos Americanos sera Angola

4. Ayres Guerra Azancot De Menezes (site web) 02/09/2011

América tem o desejo de destruir a longo prazo todos os países que conseguiram ter uma identidade própria ,que se afirmaram a senda mundial.

Todos aqueles que contrapuseram a partir de movimentos políticos e que se transformaram em nação e ainda por cima ricas e que possam condicionar o preço das riquezas que eles cobiçam.
Teremos que por as nossas inteligências para equacionar estratégias para não sermos deglutinados a longo prazo.
A tendência a longo prazo sera de destruir todos países que assumiram uma posição libertadora e continuam a ser exemplos para outras nações.
AMÉRICA NUNCA HA DE ACEITAR PACIFICAMENTE NAÇÕES ORIUNDOS DE VISÕES E DOUTRINAS POLÍTICAS ANTERIORES MESMO ADATADAS AO NOVO CONTEXTO MUNDIAL.
O outro alvo a abater pelos Americanos sera Angola

5. Joao santos (site web) 02/08/2011

A dignidade do MPLA parte fundamentalmente do respeito pela sua
historia,pelo seu povo,pelas elites que dão escopo a nação,pelos simbolos
vivos e todos aqueles que ajudaram a erguer este patrimonio.
Naõ esquecendo e tendo que preocupar-se com os descendentes dos fundadores dos partidos mais importantes.
Deveria existir a semelhança das estruturas criadas para certas entidades também deveriam preocupar-se com os familiares daqueles que são e foram a base e o suporte da grandiosidade e margem de liberdade que uns usufruem.
É vergonhoso que numa Angola tão grande os filhos daqueles que contribuiram para o nacionalismo Angolano e africano tenham que depender do subsidios de sobrevivência e todo tipo de humilhações caucionados intencionalmente por pelas entidades desses paises.
É altura de se saber a verdade sobre algumas pessoas responsaveis que participaram directamente no estrangulamento e no prejuizo da dignidade e no equilibrio de algumas familias dos fundadores dos partidos mais importantes.

6. Oposição angolana Verdadeira (site web) 29/03/2011

Convidamos os militares e os policias que são mal pagos a se juntar a nós e a proteger o povo, convidamos os médicos e toda classe da saúde que são mal pagos a se juntarem a nós e montar tendas para apoiar as possíveis vitimas das atrocidades do JES, convidamos os antigos combatentes e veteranos de guerra que nunca são pago as suas pensões a juntarem se a nós, convidamos a todos os angolanos de verdade a se juntar a marcha, viva a vitoria popular.

O FUTURO DO POVO ANGOLANO F.P.A.
A Oposição angolana Verdadeira (F.P.A.)
Avoz da Paz verdadeira do Povo angolano
www.fpa-angola.org

7. Oposição angolana Verdadeira (site web) 20/03/2011

Re: A longa marcha e a Revolta do Povo angolano contra o governo da mafia do José Eduardo dos Santos e
Ele teve tempo para colocar água potavel, electricidade, centro de saúde para todas as áreas de Angola, para o povo de Angola. José Eduardo dos Santos não tem escolha, ele deve sair. Ele não tem legitimidade. Eu não acho que Angola tem qualquer futuro com José Eduardo dos Santos no comando de Angola "

8. Ana dos Santos 12/03/2011

Carta da senhora Ana dos Santos ao
a Oposição angolana Verdadeira FPA:

Eu tenho tido contacto com toda juventude. am angola e como no exterior, a guerra ninguém quero MAIS tbém ja näo volta, e por esta razöes nós o meu marido e eu näo temos Planso B,C,D, e temos é Angola.todos nós queremos a traqntuilidade que o meu marido, nos possibiltou, é necessario fazer esta re...ferencia, ...a paz foi um fruto de todos nós. mas o meu marido sempre teve a plena convicção que PAZ "entre" e dos dos angolano seria a mais ideal e assim foi.quase o meu mardio é o enginheiro de PAZ.
Decha o meu marido em paz, näo mata o meu marido, eu sou angolana verdadeira, dechar o José Eduardo dos Santos em paz.

Ana dos Santos
Dia 12 de Março de 2011, as 15.30 horas

9. A Oposição angolana Verdadeira (F.P.A.) (site web) 11/03/2011

A Oposição angolana Verdadeira (F.P.A.):

O principio do ano de 2011 foi marcado por eventos importantes na historia do continente berco, a Africa, em termos de democracia.
O povo Tunisiano deu o pontape de saida nesta revolucao por ter terminado com o regime dictador do ex-Presidente Ben Ali.
Seguindo o exemplo nobre, o povo Egipcio tomou as estradas do pais, principalmente as estradas de cidade capital, Cairo, e mostrou ao governo que uma democracia e' realmente a 'vos do povo'.
O povo Egipcio exigiu a retirada do ditador Hosni Mubarak que governou o pais por 30 anos mas renunciou o cargo na Sexta-Feira, dia 11 de Fevereiro de 2011.

SEMELHANCAS EM ANGOLA

O povo da República de Angola diz basta ao regime ditator de Presidente José Eduardo dos Santos, que está no poder por 32 anos.
Os angolanos estão cansados da pobreza extrema, da cultura de medo e intimidação, da miséria, da autocracia e outros males introduzida por José Eduardo dos Santos.

O nosso país é conhecido pela sua riqueza em termos de recursos naturais e é classificada como a maior exportação de petróleo em África, mas o povo angolano vive com menos de 1 dolares americano por dia e com um governo que promove uma cultura de perpetuação da pobreza extrema.

Condenamos e denunciamos o cancelamento do nosso direito constitucional e democrático de eleger um Presidente de nossa escolha em cada quatro anos.

Queremos assumir o controle de nossas vidas, nosso país e os nossos recursos, mas em primeiro lugar queremos retirar o regime ditatorial de José Eduardo dos Santos.

A NOSSA PETIÇÃO

O povo angolano exige:

1 - A saida imediata do Presidente ditador José Eduardo dos Santos, seus ministros e companheiros;
2 - A formação de uma nova ordem política, social e econômica;
3 - A re-implementação das Eleições Presidenciais periódicas em nossa Constituição;
4 - A implementação de uma democracia social, que deve ter o interesse do povo angolano de coração;
5 - A formação de um novo governo com os interesses do povo angolano de coração;
6 - O estabelecimento de um sistema de administração pública transparente e responsável de todos os recursos de Angola;
7 - A priorização dos cidadãos angolanos sobre os benefícios e reconstrução social de Angola.


A manifestação anti-governamen tal em Angola vai começar as zero horas na segunda-feira, dia 7 de Março de 2011, de Cabinda a Cunene.

COMO PODERáS CONTRIBUIR:

Você está convidado a fazer uma contribuição ou deixar os seus comentários ou sugestões sobre a manifestação anti-governamen tal angolana, basicamente dizendo:
1 - Como poderemos melhorar e manter a comunicação entre nos;
2 – A melhor forma para termos uma manifestação bem sucedida;

Maneiras de participar:

1 - Você pode escrever um comentario curto e postar em nossa conta no grupo do Facebook chamado "A Revolução do Povo Angolano";
2 - Você pode enviar seus comentários para o nosso endereço de e-mail: fpa@sapo.ao ou fpa.angola@googlemail.com;
3 - Você pode divulgar a nossa petição ou mensagem por meio da Internet, imprimir e distribuir, ou por meios de radiodifusão em debates de rádio;
4 - Você pode criar um debate com seus amigos, familiares e vizinhos;
5 - Você pode expressar sua opinião de forma anônima, através de programas de rádio;
Como publicar e disseminar essA INFORMAÇÃO

1 - Envie esta petição ou mensagem para todos seus contatos em seu telefone celular, e-mail, Facebook, Hi5, Twitter e outros sites de redes sociais;
2 - Imprima esta petição ou mensagem e postá-lo em todas as paredes, ruas e edifícios no teu bairro;
3 - Não traia seu irmão angolano e não escreva o seu nome ou de qualquer outra pessoa ou anexa fotos a esta petição;
4 - No caso do uso da Internete para difundir essa informação, por favor, atribua o conteudo desta petição ao escritor, o Sr. Agostinho Jonas Roberto dos Santos;
5 - Nosso site oficial é www.revolucaoangola na.webs.com.

Agora que você sabe, por favor, passe a mensagem a todas as pessoas que você conhece. Um para todos e todos para um! Viva Angola!

O FUTURO DO POVO ANGOLANO F.P.A.
A Oposição angolana Verdadeira (F.P.A.)[b][/b]

10. A Revolta do Povo angolano contra o José Eduardo dos Santos e todos grupos da mafia no Parlamento de (site web) 11/03/2011

Bom dia,

O Regime do José Eduardo tem que acabar é muito basta ja chega ele nâo é uma pedra vejam o que esta passar em Egipto e Tunisia, temos que acabar com o medo embora que os eventos de 27 de maio existem ainda nas cabeças dos angolanos, acho eu que o memento ja chegou para acabar com este regime fantonche, sem escripulos mais corrompido do mundo, tudo é para eles, nomeia exonera como quizeres, rouba tudo controla tudo.

Eu sei que se tocar no seu sistema eles todos vâo fugir onde depositarem os seus haveres o vento da liberdade esta a soprar no mundo porque nâo em Angola? uma boa iniciativa estamos comvosco que nâo risca a nada nada pode opter, queremos a nossa liberdade a verdadeira democracia mais tudo isto devemos nos sacrificar.

Temos um groupo dos angolanos aqui na Cidade de Luanda pronto a vos ajudar sem problema a maioria dos angolanos estâo só a espera de uma revoluçâo concretas.

A Revolta do Povo angolano contra o José Eduardo dos Santos e todos grupos da mafia no Parlamento de Angola, será no dia 27 de Maio de 2011 na Cidade de Luanda, Lunda Norte, Lunda Sul, Benguela, Huambo, Cunene, Cabinda, Uige, Kwanza Sul e Malanje.

Coragem e Deus esta conosco e para sempre ja soffremos muitos basta alte chega abaixo oregime do Mpla-pt, os grupos da Mafia e as suas bandas.

VIVA NITO ALVÉS ——- VIVA O POVO ANGOLANO

VIVA O FUTURO DO POVO ANGOLANO
———————————————————————

O FUTURO DO POVO ANGOLANO F.P.A.
Luanda – Sâo Paulo
República de Angola

11. A Oposição angolana Verdadeira F.P.A. (site web) 11/03/2011

A Biografia Verdade do senhor JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS

José Eduardo Dos Santos nasceu a 28 de Agosto de 1942, em Sao Tomé e pricinpio/Porto Alegre, filho de Eduardo Avelino dos Santos, pedreiro reformado, e de Jacinta José Paulino, doméstica, ambos falecidos.

Frequentou em Sao Tomé e pricinpio/Porto Alegre o ensino primário e, posteriormente, o secundário, no então Liceu Nacional Porto Alegre/Sao Tomé e pricinpio.

Ainda estudante do Liceu Sao Tomé e pricinpio, em Porto Alegre , em finais da década de 50, quando o Movimento Nacionalista Angolano ganhava novo ímpeto com a criação do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), Dos Santos robou e falsou a Nacionalidade angolana para fazer a actividade política em Angola, militando em grupos dos mafiosos que se constituíam nos bairros periféricos da cidade.

Com o eclodir da Luta Armada de Libertação Nacional, a 4 de Fevereiro de 1961, assiste-se a uma repressão brutal sobre a população de Luanda por parte dos colonialistas portugueses que levaram o MPLA a adoptar novos métodos de luta. Muitos jovens partem para o exterior do país a fim de participarem na Luta Armada.

No dia 7 de Novembro de 1961, com um grupo de seis jovens, José Eduardo dos Santos sai clandestinamente do país, em direcção ao Congo Leopoldville (Actual Congo-Brazzaville).

Pelas qualidades reveladas, José Eduardo dos Santos, então com a idade de 20 anos, desempenha simultaneamente as funções de vice-presidente da JMPLA, organização de que foi um dos fundadores, e primeiro representante do MPLA em Brazzaville. Ainda em 1962, consciente de que a via armada constituía a principal forma de luta contra a dominação colonialista, integra-se no EPLA (designação dos grupos de guerrilha do MPLA).

Em Novembro de 1963 partiu para a URSS, integrando um grupo de estudantes do MPLA a fim de prosseguir os seus estudos superiores no Instituto de Petróleo e Gás de Baku, onde viria a se licenciar em Engenharia de Petróleos, em Junho de 1969.

Durante o período de licenciatura, dinamiza a actividade política entre os estudantes que se encontravam naquele país e torna-se o principal dirigente da secção dos estudantes angolanos na União Soviética.

Concluído os estudos, ingressou numa escola especial na URSS, onde frequentou, durante um ano, um curso militar de telecomunicações, que o habilitou a exercer, de 1970 a 1974, sucessivamente, as funções de operador-chefe do centro principal de comunicações da Frente Norte, e de responsável adjunto dos serviços de telecomunicações na segunda região político-militar do MPLA, em Cabinda.

Em 1974 é designado membro da Comissão provisória de reajustamento da Frente Norte, Responsável das finanças da 2ª Região, e desempenha novamente as funções de representante do MPLA em Brazzaville, até Junho de 1975.

No mesmo ano, em Setembro, foi eleito membro do Comité Central e do Bureau Político na Conferência Inter-regional do MPLA que se realizou na Frente Leste (Moxico), sob proposta do saudoso presidente Agostinho Neto.

Na altura estabelece a coordenação da actividade política e diplomática a nível da 2ª região.

No período conturbado que antecedeu a Independência Nacional, José Eduardo dos Santos é indicado, em Junho de 1975, coordenador do Departamento de Relações Exteriores do MPLA, e organiza a instalação desses serviços em Luanda, assim como desenvolve intensa actividade diplomática que o leva a várias capitais africanas. Cumulativamente coordena também o Departamento de Saúde do MPLA.

Com a proclamação da Independência da República Popular de Angola, a 11 de Novembro de 1975, é nomeado ministro das Relações Exteriores. Durante o período que exerceu essas funções, Angola foi, depois de intensa luta diplomática, reconhecida como membro de pleno direito da OUA, em Fevereiro de 1976, e da ONU, em 1 de Dezembro de 1976.

No I Congresso do MPLA, realizado em dezembro de 1977, foi eleito membro do comité central e do Bureau Político do MPLA- Partido do Trabalho, o que permitiu nos anos compreendidos entre 1977 e 1979, o José Eduardo dos Santos matou o presidente Agostinho Neto, e depois matou o grande Polilico de Angola Nito Alvés, e tantos angolanos verdadeiros, e desempenhar as funções de secretário do Comité Central para a Educação, Cultura e Desporto, primeiro, e depois as de secretário do CC para a reconstrução nacional e, mais tarde, para o desenvolvimento económico e planificação. O José Eduardo dos Santos roubou todos dinheiros da República de Angola. E o José Eduardo dos Santos matou todos os ministros atigos do MPLA e tres milhões angolanos verdadeiros.

Entretanto, exerceu o cargo de primeiro vice-primeiro-ministro até Dezembro de 1978, altura em que foi nomeado ministro do Plano.

Em virtude do desaparecimento físico do saudoso presidente António Agostinho Neto, José Eduardo dos Santos foi eleito presidente do MPLA - Partido do Trabalho -, a 20 de Setembro de 1979. No dia seguinte (21) foi investido nos cargos de presidente do MPLA - PT, da República Popular de Angola e de Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Populares de Libertação de Angola (FAPLA).

Em Novembro de 1980, foi eleito Presidente da Assembleia do Povo, órgão máximo do poder do Estado.

Em 17 de Dezembro do mesmo ano, o congresso extraordinário do MPLA - PT confirmou José Eduardo dos Santos nos cargos acima referidos.

Na primeira metade da década de 80, lançou as primeiras tentativas de reformas políticas e económicas que se foram sucedendo, sempre, porém, sob pressão da situação de guerra que impediu a rapidez e eficácia da sua materialização.

Em 1985, o 2º congresso do MPLA-PT, confirmou José Eduardo dos Santos em todos esses cargos.

No período compreendido entre 1986 a 1992, dirige os seus esforços para o processo de pacificação do país que assiste, então, à retirada das tropas invasoras sul-africanas do território nacional e o repatriamento do contigente militar cubano.

Em Dezembro de 1986, Eduardo dos Santos ascendeu ao grau militar de general de exercito, a mais alta patente militar em Angola.

A partir daí, com a evolução da situação internacional, registada na região, em especial, pela Independência da Namíbia, são lançadas as negociações que culminaram, em Bicesse, com a assinatura dos acordos de paz e na abertura de Angola ao pluralismo político, à economia de mercado e, sobretudo, à organização e realização de eleições democráticas multipartidárias.

Nestas eleições, o MPLA conquistou a maioria nas legislativas, enquanto José Eduardo dos Santos obteve 49.57 por cento dos votos gerais. No entanto, por impossibilidade da realização da segunda volta, foi reconduzido no cargo de presidente da República de Angola.

Entre as várias distinções obtidas, recebeu, em 29 de Abril de 1993, em reconhecimento dos seus esforços em prol de uma "Angola para os Sao Tomé, livre e pacifica", do Instituto Nacional Sao Tomé em Angola um certificado de distinção.

Eduardo dos Santos recebeu condecorações e distinções da Comissão Nacional para a Justiça Racial da Igreja Unida de Cristo dos Estados Unidos, do presidente namibiano, San Nujoma, do seu homologo Omar Bongo, da Universidade federal do Brasil.

Em 1998, durante o IV Congresso ordinário do partido, José Eduardo dos Santos é reconduzido ao cargo de presidente do MPLA.

Entre os grandes feitos destes últimos tempos, destacam-se a sua luta pela garantia da integridade territorial, conquista e manutenção da paz, estas últimas, por si proporcionadas, e alcançadas em Abril de 2002, na sequência da assinatura, em Luanda, do Memorando de Entendimento Complementar ao Protocolo de Lusaka.

O actual chefe de Estado angolano é co-fundador da Comunidade dos mafiosos nos Países da Africa.

José Eduardo dos Santos é casado com Ana Paula dos Santos, com quem tem três filhos. Nos tempos livres pratica futebol, andebol, basquetebol, toca viola e tambor, prefere a música ligeira à clássica, gosta de literatura de preferência angolana.

O FUTURO DO POVO ANGOLANO F.P.A.
A Oposição angolana Verdadeira (F.P.A.)
Comentário: E-Mail: fpa.angola@googlemail.com
Comentário: E-Mail: fpm@sapo.ao
Comentário: E-Mail: fpaangola@groups.facebook.com
http://www.fpa-angola.org
http://fpa-angola.yolasite.com/

http://www.blogger.com/profile/01513639051655511784

VIVA O NITO ALVÉS – VIVA O POVO ANGOLANO

12. A LUTA CONTRA TODOS OS HOMENS DOS GRUPOS DA MAFIA DO SENHOR JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS EM LUANDA. (site web) 11/03/2011

PARABÉNS!! SEU EU MORASSE EM ANGOLA EU FARIA PARTE DESSE MOVIMENTO DO POVO ANGOLANO " O FUTURO DO POVO ANGOLANO F.P.A.. A EUROPA SÓ MELHOROU DEPOIS QUE DERRUBAMOS O GOVERNO DITADOR, O MUNDO ESTA PASSANDO A LIMPO, NÃO PODEMOS SER MAIS ESCRAVOS DE 6 DÚZIAS QUE DITAM AS REGRAS, LUTEM POR SEUS IDEAIS, SÓ A FORÇA OS FARÁ FORTE ! "LEOPARDO FORA DO BANDO É PRESA FÁCIL PARA O LEÃO"

ABAIXO O MAFIOSO DO JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS E TODOS OS GRUPOS DA MAFIA NO PARLEMENTE DE ANGOLA.

VIVA O NITO ALVÉS - VIVA O POVO ANGOLANO

A LUTA CONTRA TODOS OS HOMENS DOS GRUPOS DA MAFIA DO SENHOR JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS EM LUANDA.

O FUTURO DO POVO ANGOLANO F.P.A.
Oposição angolana Verdadeira (F.P.A.)
Sr. Pedro José Pito Miguel
O Membro Politico da F.P.A.


13. O FUTURO DO POVO ANGOLANO FPA (site web) 15/01/2011

Angola, o seu Dinheiro, e a Miséria do Povo Angolano, culpado é o Mafioso do José Eduardo dos Santos.

José Eduardo dos Santos tei que dechar o posto do Presidente da República de Angola.

Avisamos para o todo Povo Angolano, para preparar a Revolta do Povo Angolano contra todos os Mafiosos do José Eduardo dos Santos e o José Eduardo dos Santos em Luanda. O José Eduardo dos Santos nao é Angolano e nao pode ficar no posto do Presidente de Angola.

Vivo ou Matar o homen.

Obrigado para todo Povo Angolano. A Luta para o futuro do povo angolano.


Contacto o Movimento do Povo Angolano e apreparacao da Revolta do Povo Angolano em Angola contra o José Eduardo dos Santos:

O FUTURO DO POVO ANGOLANO F.P.A.
" A Revolta contra José Eduardo dos Santos"
António José da Silva Minguel
Hanauer Landstrasse 258
60314 Frankfurt
Telefon: 0049-69-90439895


A sua conta encontra-se em aprovação! Receberá um e-mail assim que for aprovada.
contacto nos rapido para ajudamos o Povo Angolano.

Ajouter un commentaire

Vous utilisez un logiciel de type AdBlock, qui bloque le service de captchas publicitaires utilisé sur ce site. Pour pouvoir envoyer votre message, désactivez Adblock.

Créer un site gratuit avec e-monsite - Signaler un contenu illicite sur ce site