“Os negros não foram purificado com a brancura de cristo” diz Pinto Leite

“Os negros não foram purificado com a brancura de cristo” diz Pinto Leite
em 27 de Julho de 2007 - 02:35   
 
Espanha - “O ser negro ainda não foi purificado com a brancura de cristo, eis a razão da sua escura pele” foram com essas palavras que Walter Pinto leito, universitário angolano em Espanha proferiu, recentemente, aos membros do conselho de uma publicação cientifica que publicara um dos seus poemas.

Discurso

Excelencias Membros do concelho de redacção da revista PRÍMULA c.c.
Doutor Mario Parker, Pesidente da Associaçao de Afro Europeus

DISTINGUIDOS PROFECIONAIS DA ARTE DE SALVAR VIDAS.

CAROS CONVIDADOS, DAMAS E CAVALHEIROS.

Tradicionalmente, eu teria que começar este discurso dizendo, que, é para mim uma grande honra ser publicado numa revista cientifica, e, depois teria que entrar no tema do discurso sobre o poema “CORDENADAS (da alma)”; mas as pessoas que me conhecem, sabem que não sou muito tradicionalista, assim que ocuparei todo o discurso falando do honrado que me encontro, sobre a alegria de sair numa revista médica, com um poema sobre a alma, e mais, sendo eu um primeiro africano, o primeiro negro.

Na idade média, um dos debates mais sérios nas lides medico - teológicas, era o de se saber se os negros estão dotados de alma ou não. Sentenciou o debate debate um grande medico e humanista francês, padre Ferdinand Chapeau, “brilhantemente” afirmando “.está comprovado que na hierarquia da divina criação, o ser negro ainda não foi purificado com a brancura de cristo, eis a razão da sua escura pele, porém cristo, na sua infinita misericórdia, seguirá no labor de purificar-los, pelo que a nossa colaboração é fundamental...” ou seja, o homem negro cientificamente não tinha alma e na escala da purificação, se criaram várias sub-raças classes e categorias de negros, conhecidas com os nomes de cabritos, mestiços, hibridos, mulatos, pardos, quem es tu, de onde vieste, que fazes tu aqui, não es bem vindo e por fim, negros. Esta raça tinha que ser “coisificada” pela superior para vir a ser pura.

De matizar, que a diferença de tom de pele entre um “que fazer tu aqui” e um “de onde vieste” era menor que a diferença entre um branco hispano e um hislavo, mas isso não importava, a raça branca era una, indivisível e pura, tinham alma até que... surgiu um grupo de médicos que numa tentativa de desmontar a raça branca em categorias, determinaram a sub raça ariana era a superior no mundo, ao contrario do que muitos pensavam, esta teoria foi apoiada por Hitler, mas suportada “cientificamente” por medicos tão loucos como os da idade média.

Depois destas manchas no quadro da história, heis-me aqui, não sendo médico, sendo poeta, um simples operário da caneta, a assinar um poema, onde tento dar as coordenadas do lugar onde se encontra a alma de um homem. Negro.
Como é que não me sentirei honrado, se este é uma vez mais o reconhecimento que também temos alma? Mais do que isso, entendo que este é o reconhecimento desta comunidade cientifica de anular todas as raças e proclamar a espécie humana, una, indivisível, inalienável, porque se “Coordenadas” é o testamento dos meus sentimentos num dado memento, espero que todas as pessoas que estiverem no momento em que estive, possam identificar-se com ele.

Me sinto verdadeiramente honrado.

Muito obrigado.
Walter Pinto Leite

Fonte: Club-k.net

2 votes. Moyenne 4.50 sur 5.

Ajouter un commentaire

Vous utilisez un logiciel de type AdBlock, qui bloque le service de captchas publicitaires utilisé sur ce site. Pour pouvoir envoyer votre message, désactivez Adblock.

Créer un site gratuit avec e-monsite - Signaler un contenu illicite sur ce site

×